sociedade digital

Sociedade da informação

Ouço, diariamente, que as crianças nascem sabendo TUDO sobre tecnologia.

Absurdo! As crianças, por nascerem em uma época onde a tecnologia faz parte de seu ambiente, não têm medo dos aparelhos que dão acesso ao mundo digital. Diferente de seus avós, ou mesmo, de seus pais, que possuem, sim, certo receio. Receio de errar, de quebrar, de não saber, etc.

Saber mexer, de longe, não quer dizer saber fazer uso correto. Sabem entrar nas redes sociais (existem muitas mesmo!), sabem jogar, e, praticamente, só isto. Salvo raras exceções, não sabem onde e como buscar conteúdo. O Google dá a elas uma falsa impressão de domínio do conhecimento. O conhecimento existe, têm acesso a ele, mas não o absorvem. A busca é fácil, porém momentânea.

Sociedade da informação x sociedade digital

Existem vários autores que definem “informação”, ainda assim, seu conceito continua vago. Quando perguntamos algo a alguém, pedimos uma informação, ao lermos sobre qualquer assunto, estamos buscando informação, mesmo uma revista em quadrinhos ou uma música, a meu ver, são informações. Consumimos informação durante cada segundo de nossas vidas, portanto, ao tentar defini-la, estariam “aprisionando” um conceito, tornando sua definição sem sentido e fútil, uma vez que, por si só, é intuitiva.

A informação é, hoje, matéria prima em uma sociedade digital. O meio tecnológico é seu veículo de propagação. Para a chamada geração “Alpha” (crianças nascidas depois de 2010), o mundo virtual não é separado de nosso mundo presencial, faz parte dele. Tem contato com a tecnologia desde o berço.

É uma geração que exige mais, questiona mais, muito conectada, acelerada, dinâmica, multitarefa (multitarefa???) Mas será nosso cérebro multitarefa? Estudos têm revelado que NÃO! Ao tentarmos realizar várias tarefas ao mesmo tempo perdemos nossa capacidade para resolver problemas e nossa produtividade cai.

Falando com certo conhecimento de causa, multitarefa é igual à perda de foco. Quer um exemplo? Quantas vezes você sentou em frente ao computador para fazer um trabalho qualquer e acabou indo parar no Facebook? Ou vendo algum vídeo? Enfim, fazendo algo totalmente diferente do que foi buscar inicialmente?

Facilidade x conhecimento

Voltando ao “não nascemos sabendo”…

Diferenças entre gerações sempre existiram e sempre existirão. Por vivenciarmos um momento de transição, muito mais que alternância entre gerações, este processo se torna mais difícil.

A geração “Alpha” passeia entre os mundos virtual e real naturalmente, enquanto, pais e professores “tateiam” em busca de comunicação.

As escolas não estão preparadas para esta geração. Ainda não encontramos uma linguagem adequada e que funcione para ambas as partes, mas chegaremos lá.